segunda-feira, 18 de março de 2013

ESPAÇOS RICOS EM LEITURA E CULTURA


Quiosques existentes em Passo Fundo são importantes espaços para a formação de leitores que estão ao alcance da comunidade.

Os quiosques de leitura Roberto Pirovano Zanatta e o do Largo da Literatura de Passo Fundo são espaços mágicos. Qualquer pessoa que visita os quiosques é contagiada pela magia que só os livros proporcionam na vida de uma pessoa. Além do acervo de livros, estes locais disponibilizam revistas, jornais, computadores, internet e atividades como contação de histórias. Espaços de acesso a leitura e a cultura.

Os livros ficaram mais próximos da comunidade passo-fundense após a implantação do Quiosque localizado no Largo da Literatura em 2009,  na praça Armando Sbeghen, e do Quiosque Roberto Pirovano Zanatta em 2011, na praça Antonino Xavier e Oliveira. Os pontos de leitura também ajudam a enfatizar e honrar o título de Capital Nacional da Literatura.

A coordenadora da Universidade Popular (UP/SME), Nalú Cordeiro de Mello, explicou que os quiosques fazem parte dos programas de formação cultural e formação de leitores da UP. Serão desenvolvidas nestes espaços diversas atividades relativas a 15ª Jornada Nacional de Literatura, através de parcerias entre a UP e instituições públicas e privadas. “As atividades nos quiosques, juntamente com outro conjunto de ações, têm o intuito de despertar o gosto pela leitura, a valorização das diversas formas de leitura e a interação do sujeito leitor com o mundo, contribuindo assim para a formação de leitores e pessoas com autonomia no pensar e agir”, declarou Nalú.

A diretora do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura, Suzana Einloft Salles, apesar destes locais realizarem um trabalho semelhante ao da Biblioteca Pública de empréstimo de livros, os quiosques têm um “plus” a mais. “Estes espaços de leitura estão localizados em pontos estratégicos e históricos para que a comunidade perceba a leitura como algo próximo e prazeroso acessível a todos os públicos”, declarou Suzana.

Os locais também possuem uma agenda permanente de contação de história, atividades lúdicas e de apresentação dos quiosques. As escolas e instituições interessadas precisam entrar em contato com os quiosques ou UP para acertar a data e horário. O empréstimo de obras é feito mediante um cadastro. Para este serviço é necessário a apresentação de comprovante de residência e documento pessoal. “Qualquer pessoa pode visitar estes espaços. A pessoa pode ler jornal, revista, fazer pesquisas, pegar livros”, enfatizou a diretora do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura.

Quiosque do Largo da Literatura
Este ponto de leitura foi inaugurado em 26 de outubro de 2009 e foi possível através de um projeto do Ministério da Cultura de fomento à leitura. Na época, como prêmio foram entregues R$ 20 mil em acervo de 650 livros, mobiliário, almofadas, puffs e computador.  O quiosque abrange livros, revistas, jornais e computadores com acesso à internet. O espaço também oferece empréstimo de livros.

Quiosque Roberto Pirovano Zanatta
Este espaço público de leitura, literatura e cultura foi inaugurado no dia 05 de agosto de 2011. Localizado na Praça Antonino Xavier, em frente ao Hospital da Cidade, o quiosque, tem 96 m² e homenageia o escritor passo-fundense, Roberto Pirovano Zanatta, autor de três livros infantis e que faleceu em 2008, aos 10 anos.

O local também possui livros, revistas, jornais, empréstimo de livros e acesso a internet nos computadores ou pela rede wireless. São desenvolvidas ações como troca-troca de livros, atividades artísticas e de contação de histórias.  Para o ano de 2013, a programação prevista pelo Instituto Roberto Pirovano Zanatta, a ser desenvolvida em parceria com a Prefeitura, está bastante intensa, contemplando festas,  exposições, contações de histórias, campanhas, entre outras atividades.

A magia da contação de histórias
A primeira escola a agendar uma visita no Quiosque da Leitura no Largo da Literatura este ano foi a Escola Municipal de Educação Infantil Criança Feliz, do bairro Manoel Portela. Durante aproximadamente meia hora, a atenção das crianças foi exclusivamente para a contação da história de Chapeuzinho Amarelo, do autor Chico Buarque e ilustrações do Ziraldo. Uma obra clássica da literatura infantil brasileira. A história é uma releitura do clássico Chapeuzinho Vermelho. Mas nesta obra de Chico Buarque, Chapeuzinho tem medo de tudo, uma menina que era amarelada de medo, mas que no final consegue superar suas fobias. Enquanto a monitora do quiosque, Fernanda Lopes, contava entusiasmada a história, a pequena Ingrid Gabrieli Severo, de 5 anos, nem piscava. “Ela tinha medo de tudo e nem dormia com medo de pesadelo. Depois que ela viu o lobo não teve mais medo porque o lobo virou bolo”, relatou Ingrid.

A história preferida de Ingrid é a do Clifford, O cachorrão vermelho, de Norman Bridwell. “Gosto muito da história do cachorro gigante. Antes de dormir minha mãe sempre conta uma história pra mim”, revelou Ingrid.
A contação de história encanta tanto os alunos que estão escutando quanto a monitora que está apresentando. A monitora Fernanda, de 24 anos, contou que esta é uma maneira de plantar a semente para formar futuros leitores. “A literatura influencia o ser humano e é uma agente de transformação. Ela expande o nosso olhar, o nosso mundo e a nossa criatividade”, salientou a monitora do quiosque.

Fernanda é acadêmica do curso de Letras e a paixão dela pelos livros começou quando ela tinha cerca de seis anos. Hoje ela é uma incentivadora da literatura. “Minha prô me apresentou o livro do Menino Maluquinho e assim ela despertou essa minha paixão pela leitura. Espero despertar da mesma forma em outras crianças”, disse a monitora.
A professora do pré II da Escola Criança Feliz, Adinara Bonamigo, explicou que a visita ao quiosque faz parte das atividades de um projeto desenvolvido na escolinha chamado Brincando com Letrinhas. “O quiosque é um espaço adequado de contato com os livros e promove um encontro com o letramento de forma divertida”, enfatizou a professora.

A funcionária do quiosque, a professora Josemir Ferreira, disse que a contação de história é muito importante no desenvolvimento destas crianças. “Desperta o interesse delas pela leitura, ajuda na criatividade, na dicção e na comunicação”, disse Josemir.

“Este espaço é maravilhoso”
A professora aposentada, Lilian Cardoso, reside em Santa Maria, e quando vem a Passo Fundo costuma levar o neto Samuel, de 4 anos, ao Quiosque Roberto Pirovano Zanatta. “Que bom se todas as cidades tivessem um lugar como esse. É importante que as crianças tenham este contato com os livros para que adquiram o gosto pela leitura”, declarou Lilian.