quinta-feira, 4 de outubro de 2012

MUSEU DA REGIÃO TERÁ ACERVO PARA HEBE CAMARGO

Cidade da TV, museu em São Bernardo, deve ganhar um O relicário para a madrinha da televisão brasileira. Ainda em vida, Hebe Camargo e a família tinham manifestado interesse em doar objetos pessoais para o museu. A apresentadora morreu no sábado, dia 29, aos 83 anos.

Os principais legados que Hebe deixa para a cultura nacional são a valorização da mulher como apresentadora, a alegria de viver e o espírito do trabalho em equipe, afirma Elmo Francfort, gerente do museu.

Francfort acredita que um acervo exclusivo que preserve a história da artista conseguiria também trazer mais visitantes ao local. “Não é difícil falar da história da televisão sem a Hebe. É, na verdade, impossível”, destaca.

As negociações com a família da apresentadora não estão em andamento no momento por causa do período de luto, mas o gerente acredita que dentro de um mês o assunto poderá ser formalmente discutido. A apresentadora esteve na primeira transmissão da televisão, financiada e organizada pelo magnata da comunicação Assis Chateaubriand em 1950.

No confuso e desorganizado programa da TV Tupi estavam outros artistas, como Lima Duarte e Mazzaropi (1912-1981).

CIDADE DA TV
 A Cidade da TV, instalada dentro da Cidade da Criança (Rua Tasman, 301. Tel.: 4330 -6998), foi inaugurada em setembro de 2011 e tem algumas relíquias expostas, como câmeras antigas, figurinos, objetos, telas interativas e aparelhos televisores utilizados nas produções desde a década de 1950.

Com dois andares, o local já tem alguns pertences e imagens em tamanho real da apresentadora, além de outros materiais do SBT. O museu fica dentro da réplica da Vila Redenção,  homônima à novela exibida  pela extinta TV Excelsior e a mais duradoura da história brasileira, com mais de dois anos de produção.

A entrada para adultos custa R$ 10. Estudantes e crianças pagam a metade. O espaço funciona de terça-feira a domingo, das 9h às 17h

Fonte da postagem