quinta-feira, 9 de julho de 2015

Pessoas organizadas vivem mais, aponta pesquisa

Ser organizado pode render uns anos de vida a mais. É o que sugere uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. O estudo avaliou dados de 20 pesquisas relativas às características típicas de pessoas organizadas. Para os pesquisadores, traços psicológicos são tão importantes como fatores médicos e sociais na saúde.

O trabalho envolveu mais de 8,9 mil voluntários de países desenvolvidos e concentrou em particular três características deles: o autocontrole, a organização e a diligência (virtude humana de seguir um objetivo de vida). Eles descobriram que os dois últimos aspectos são os mais ligados à longevidade.

Entre outras características consideradas saudáveis estão o perfeccionismo, a confiança, a determinação, a competência e a obediência. "Pessoas mais conscienciosas têm melhores hábitos em relação à sua saúde, se arriscam menos, e tendem a ter empregos e casamentos mais estáveis", disse o psicólogo Howard Friedman, um dos autores do estudo.

O pesquisador revela ainda que pessoas mais disciplinadas tendem a ser mais felizes, e consomem menos drogas e álcool. Para a psicanalista Glória Sadala, coordenadora do mestrado em Psicanálise, Saúde e Sociedade da Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro, a pessoa mais organizada se cuida mais. "Essas pessoas têm mais vantagens porque vão regularmente ao médico e cuidam melhor da alimentação", acredita.

Com as férias de julho planejadas desde janeiro, Patrícia Narciso, 34 anos, é um bom exemplo de pessoa altamente disciplinada. Ela nunca se atrasou para o trabalho ou perdeu um compromisso. "Até mesmo a escolha do meu trabalho próximo de casa foi planejada. Eu preciso estar presente nas necessidades do meu filho de 7 anos e ainda gerenciar a qualidade do serviço prestado em um grande hospital particular. Por isso, tem que ter tudo organizado à minha volta", conta.

O estudante de administração Horácio Batista, 24 anos, também defende que o planejamento é fundamental para levar uma vida mais saudável. "Desde pequeno sou organizado, meu armário, por exemplo, é dividido por cor para facilitar na hora de sair", diz.

Mas a organização também pode ser um problema quando é excessiva. Sadala explica que ser organizado demais prejudica até os relacionamentos. "A organização é saudável, mas o excesso pode levar a patologias graves. Se a falta de programação acaba levando a pessoa a perder um compromisso importante, ser organizado demais também pode afastar as pessoas, por causa do comportamento exagerado. Ela acaba virando a famosa neurótica", revela.

Sem disciplina

O jovem Daniel Periard, 21 anos, é o oposto de Horácio, ele não se preocupa muito com a organização de casa e prefere ser mais exigente no seu ambiente de trabalho. "Eu sou mais disciplinado no trabalho, mas em casa eu conto com a ajuda da faxineira, que vai duas vezes ao mês. Não tenho agenda, então já esqueci várias vezes o aniversário do meu pai e da minha mãe", comenta.

A psicóloga Érica Morais, explica que uma pessoa organizada em excesso terá o mesmo tratamento daquelas completamente desorganizadas. "O trabalho terapêutico é praticamente o mesmo, temos que buscar o equilíbrio com as atividades diárias. Partimos de uma tentativa de reorganizar sua rotina", afirma.

Terapia semelhante

"No caso de uma pessoa extremamente disciplinada, é preciso fazer uma lista de prioridades e reservar um tempo a mais para o lazer, por exemplo. Com o desorganizado acontece a mesma coisa. Só que focamos mais nas medidas de reeducação de hábitos diários para estabelecer uma rotina de afazeres", explica a psicóloga.


Fonte: www.terra.com.br em 08.02.2009